Billy Elliot: A Eletricidade do Ballet

Olá, hoje eu decidi fazer uma postagem diferente. Decidi desenterrar um DVD muito querido por mim e assisti-lo junto com minha mãe: trata-se do filme britânico Billy Elliot, lançado em setembro de 2000.

Praticamente um conto de fadas do século XX, a história lapidada com muito cuidado, mostra um cenário muito dificil em uma cidade carbonifera e faz um grande trabalho para nos imergir totalmente no clima da época e na trama.

Não quero revelar nenhuma informação importante do filme porque este não é o nosso objetivo, então não irei contar a história do filme. Mas pelas imagens do post todos conseguem perceber que trata-se de um filme sobre dança, mais especificamente, o ballet. O interessante e importante é que temos um menino no papel principal, somente com isso, percebe-se que o filme trará questões delicadas e controversas em voga.

Uma coisa engraçada é que mesmo as pessoas não conhecendo a trama do longa metragem, existe um certo preconceito. Que trata-se de um filme afeminado ou até mesmo tolo e sem qualidade. Antes mesmo do filme começar ouvi suspiros de descontentamento aqui na minha casa. Uma pena! Perde-se muito quando nos fechamos para novas experiências de vida, mas cada um é cada um e não se pode obrigar ninguém a fazer nada (pelo menos não se deve).

O que algumas pessoas não conseguem entender é a bela mensagem que este filme nos traz. Além de nos incluir em uma família que passa por grandes dificuldades (vividas por muitas famílias de hoje) também consegue nos fazer sentir as mesmas emoções que as personagens vivem. Confesso que eu senti alegria, tristeza, raiva, desespero, saudades, tudo isso com o filme.

A trilha sonora também cumpre o seu papel e é alucinante ver o ritmo das músicas que acabam contagiando as cenas, mesmo quando ninguém está dançando. A banda de rock britânica T-Rex tem grande destaque com cinco músicas durante toda a película. Aliás, irei pesquisar mais sobre eles e ouvir o álbum depois. Muitos irão reconhecer as músicas que são utilizadas.

Para aqueles que acham que o filme só tem músicas de ballet, vai se surpreender com as guitarras e músicas divertidas que alternam com os clássicos da dança erudita.

Porque assistir?

O filme é extremamente bem feito, possui uma linda história com um final bem emocionante e trata de questões delicadas da vida de maneira muito sutil. O ator Jamie Bell no papel principal de Billy, é um espetáculo à parte. O menino sabe atuar extremamente bem e consegue demonstrar que sente muito prazer em dançar, além é claro de arrasar nos passos de ballet que são extremamente complicados para uma criança de 11 anos.

Porque não assistir?

Se você não gosta de filmes sentimentais, com uma história que poderia muito bem ser verídica, não assista ao filme.

Conclusão

Billy Elliot é um clássico atemporal que sempre irá me emocionar porque possui um desenvolvimento muito incrível dos pensamentos das personagens e mostra seus dilemas internos. Com certeza, assistirei várias vezes. Eu sempre fico feliz ao ver as demonstrações de carinho entre os personagens, porque você realmente sente sentimento na cena.

Cada personagem tem sua devida atenção e importância. Eu acho lindo como o amor é demonstrado em vários pontos da história: amor em família, amor de amigos, amor de professor e aluno, amor à música, amor à dança…

Um clássico que todos deveriam assistir.

Anúncios
Post seguinte
Deixe um comentário

5 Comentários

  1. Adorei o texto Bruno, o filme é lindo mesmo!

    Esse Jamie Bell dança bem pra caramba e é tão fofo! ^_^

    Responder
    • Obrigado Báh! O filme realmente é lindo e trata do preconceito que as pessoas tem para coisas femininas ou masculinas. Em momento algum a sexualidade do Billy é confirmada. Ou seja, não se sabe se ele é gay ou hétero. Legal, né?

      Responder
      • Essa discussão é muito boa mesmo, pois o comportamento do indivíduo é ditado pela sociedade que não permite ser diferente ou gostar de coisas diferentes da maioria.

        Mas sinceramente eu acho que no final do filme a sexualidade do Billy é confirmada quando ele conversa com o melhor amigo! E isso deixa bem claro que os gostos não tem a ver com a sexualidade! ^_^

      • Ahaahahah, adoro uma discussão sadia. E o que você diria do beijo que ele dá no amigo quase no final do filme? Eu não sei. Não coloco a minha mão no fogo pelo Billy, afinal, ele ainda é uma criança quando acompanhamos todo o seu dilema. O amigo dele não é somente gay, mas gosta de se vestir como uma garota. Será que o próprio Billy não rejeitaria sua sexualidade ‘diferente’? Percebe que quando adulto, não temos contato com o personagem, apenas vemos ele dançando. Nada mais, sei lá, eu acho que era esse o objetivo do diretor, deixar a incógnita.

        Quero deixar claro que não estou dizendo que só porque ele era bailarino, tinha que ser gay. Isso seria um absurdo da minha parte. Mas gosto de devanear no que o personagem viveu fora do que acompanhamos na tela, como se fossem reais, entende?

      • Tbm adoro esse tipo de discussão!

        Verdade, tinha me esquecido desse beijo… mas tbm pode ser interpretado como: “Eu sei que você gosta de mim, mas não é recíproco, gosto de você apenas como amigo”. O que você acha?

        Eu gostaria de saber o que acontece com ele na adolescência até a fase adulta, seria muito interessante ver essa evolução!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: