Death Note

Definitivamente um dos melhores mangás/animês que já li/assisti! Sim, o meu vício foi tamanho que comprei o mangá e assisti todos os episódios do animê, inclusive os filmes.

Definições para quem não tem ideia do que eu estou falando.

Mangás – são os famosos quadrinhos japoneses, contam diversos tipos de histórias de temáticas infantis a temáticas adultas policiais e eróticas. Tem como principal característica a liberdade no traço do desenho, ou seja, podem ter olhos grandes e cabelos coloridos como também seguir um traçado mais parecido com os dos humanos.

Animê – geralmente são adaptações dos mangás para desenhos animados, mas as vezes são criados especialmente para a televisão. Exemplo: Cavaleiros do Zodíaco (Saint Seya) é um animê baseado no mangá homônimo que também foi publicado no Brasil.

Filmes – geralmente quando o mangá e o animê fazem sucesso eles são transformados em filmes com atores reais.

Bem, continuando…

Fazia muito tempo que eu não viciava em um animê e o Death Note é o típico animê que você simplesmente pira, quer saber o final, se apaixona pelos personagens, torce, chora e mais um monte de sentimentos juntos.

Mas por que ele consegue fazer tudo isso? O enredo e o roteiro extremamente bem costurados são as principais respostas (logicamente eu também gosto muito do traço feito por Takeshi Obata, mas isso fica em segundo plano).

Para quem não conhece a história: por um pequeno descuido, ou simplesmente por estar entediado, um Shinigami (Deus da Morte) deixa cair na terra um caderno, que traz ao dono um poder inigualável, pois ele pode causar a morte de qualquer pessoa no mundo que tiver seu nome escrito, desde que se conheça seu rosto. Esse caderno cai nas mãos de Light Yagami o melhor aluno do Japão que decide fazer justiça com as próprias mãos matando prisioneiros e malfeitores. No entanto o plano é descoberta pela policia que de tanto falhar começam a receber a ajuda do detetive L, o melhor do mundo.

Tsugumi Ohba, o escritor da obra é um maestro em armar cenas que não possuem nenhuma violência ou ação apenas o pensamento lógico e racional dos personagens principais, no caso Light Yagami e L em uma mistura de lenda japonesa e realidade. Cada um arma planos para pegar o outro como em jogadas de xadrez, mas que você entende como funciona. E é isso que torna Death Note tão irresistível.

O próprio Ohba é uma incógnita, pois até hoje ninguém sabe quem realmente ele é, tudo o que se sabe é que é um pseudônimo que pode ser de um escritor já consagrado ou apenas de um iniciante ou até mesmo de uma mulher, mas ninguém pode afirmar. O que deixa sua obra ainda mais genial.

Bem, com tanto sucesso os direitos da história passaram para uma companhia de teatro brasileira que com maestria adaptaram a história para os palcos com o nome de “O Carderno da Morte”. Essa peça é fantástica e vai se apresentar em Jundiaí dia 06/09, (clique aqui para saber mais) mas essa é história para o próximo post que sairá em breve! ^___^

Anúncios
Post anterior
Deixe um comentário

1 comentário

  1. O Caderno da Morte « O Bonde Andando

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: